segunda-feira, 24 de setembro de 2018

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Presidência reforça segurança do Jaburu e faz reparos em portões do Alvorada

Funcionários recolocaram nesta segunda portão da residência oficial da Presidência, derrubado por motorista na última quarta. No sábado, Palácio do Jaburu, onde mora Temer, foi alvo de invasão.


Funcionários arrumam portão do Palácio da Alvorada, derrubado por adolescente na semana passada (Foto: Marília Marques/G1)

Na última semana, os Palácios da Alvorada e do Jaburu – residências oficiais da Presidência da República em Brasília – foram alvos de invasões. Os incidentes, aparentemente sem relação, ocorreram em um intervalo de três dias, e deixaram em alerta o Gabinete de Segurança Institucional (GSI), responsável pela segurança dos locais.
As grades que fazem a proteção do Alvorada foram recolocadas e receberam reparos na tarde desta segunda-feira (3). Os pinos de segurança, na frente dos portões, passarão a ficar erguidos 24 horas por dia.
Na noite da última quarta-feira (28), os mesmos pinos estavam abaixados no momento em que um jovem de 15 anos, avançou com o carro contra o portão. O adolescente invadiu o palácio e só foi parado quando estava no terceiro andar do prédio.

Carro invadiu Palácio da Alvorada (Foto: TV Globo/ Reprodução)

Na madrugada de sábado (1º), uma mulher de 23 anos pulou a cerca e tentou invadir o Palácio do Jaburu. Segundo informações da Polícia Federal ao G1, ela cometeu a infração "depois de ingerir bebida alcóolica e brigar com o namorado". Em nota, o GSI admitiu a tentativa de invasão.

Presidência da República divulga nota de esclarecimento sobre mulher que invadiu Palácio do Jaburu, em Brasília (Foto: Luiza Garonce/G1)

Além de aumentar as equipes de segurança que atuam no Jaburu e no Alvorada, o GSI colocou faixas de pregos (stinger) para furar os pneus de qualquer veículo que tente entrar sem autorização.
No Palácio do Jaburu, as grades de proteção continuam levantadas e o acesso à guarita principal é restrito aos funcionários. Segundo o GSI, a visitação de turistas está suspensa desde “meados do ano passado”.
Até a publicação desta reportagem, a Secretaria de Governo da Presidência, não tinha informado ao G1, os custos para reparo do portão do Alvorada e aumento da segurança.

Turistas

O advogado paulista, Rodrigo Ferreira, trouxe o filho Felipe, de 6 anos para conhecer os pontos turísticos da capital federal nesta segunda-feira. Mas não arriscou posar para fotos em frente ao Jaburu.
"Está tudo fechado, não tivemos acesso. Viemos para tirar uma foto, mas nem perguntei. Vi a segurança e já dei meia volta.”

Residência oficial

O Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República, é usado por Michel Temer apenas para reuniões. Apesar de ter sido reformado depois do impeachment de Dilma Roussef, a família de Temer preferiu morar no Palácio do Jaburú, erguido para abrigar a vice-presidência.

Os invasores

Os dois autores da invasão aos palácios não foram presos. O adolescente de 15 anos – que só foi parado em um dos cômodos no terceiro piso do Palácio da Alvorada – foi encaminhado à Delegacia da Criança e do Adolescente e liberado em seguida. O caso foi registrado como dano a bem público.
A mulher que invadiu o Palácio do Jaburu foi conduzida à Polícia Federal e liberada após assinar um termo circunstanciado.

Referência em segurança

Os incidentes de invasão aconteceram no mesmo período em que o Gabinete de Segurança Institucional, responsável pela proteção da Presidência da República, oferece um curso, em Brasília, de formação de agentes de segurança presidencial ao governo de Moçambique.
Com duração de quatro semanas, a formação ainda está em andamento, e, segundo o GSI, o curso pretende "formar agentes multiplicadores do conhecimento adquirido”, no país africano.
Em divulgação em portal na internet, o GSI afirma que o sistema de segurança presidencial utilizado no Brasil é considerado “referência internacional”.


Postado por: Giovana M. de Araújo

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Pintor que criou a música "Fuscão Preto" está pobre até hoje

A equipe do Domingo Show foi até a cidade de Osvaldo Cruz, no interior de São Paulo, para conhecer a verdadeira história por trás da música Fuscão Preto. Apesar de ser autor de uma das músicas mais tocadas do País, o autor da letra é um pintor humilde, de 67 anos, que não ganhou nenhum centavo pelo sucesso da música.

Veja no link abaixo:

http://entretenimento.r7.com/domingo-show/videos/pintor-que-criou-a-musica-fuscao-preto-esta-pobre-ate-hoje-19022017

sábado, 1 de outubro de 2016

Três seguranças da Presidência da República são presos por roubo no DF


Militares atuam na guarda de instalações e devem ser afastados, diz GSI.
Trio usava pistolas do Exército para roubar dinheiro e celulares, afirma PM.

Mateus RodriguesDo G1 DF
Armas, celulares e distintivos apreendidos com militares do Exército suspeitos de roubo em Ceilândia, no Distrito Federal (Foto: Polícia Militar/Divulgação)Armas, celulares e distintivos apreendidos com militares do Exército suspeitos de roubo em Ceilândia, no Distrito Federal (Foto: Polícia Militar/Divulgação)
Três militares do Exército que atuam na segurança de instalações da Presidência da República, em Brasília, foram presos na noite desta sexta-feira (30), suspeitos de assaltar pelo menos seis pessoas. De acordo com a Polícia Militar, o grupo usava pistolas das Forças Armadas para roubar dinheiro, celulares e objetos pessoais de pedestres em Ceilândia.
No momento da prisão, os homens estavam com distintivos e crachás do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República. O órgão confirmou ao G1 que os suspeitos pertencem ao quadro de funcionários.
Segundo o GSI, os homens eram agentes de segurança das instalações, e controlavam o acesso à presidência da República em prédios como o Palácio do Planalto, o Palácio da Alvorada e a Granja do Torto. Eles não faziam a guarda direta do presidente Michel Temer.
Vinculado diretamente ao Palácio do Planalto, o Gabinete de Segurança Institucional é responsável pela segurança do presidente da República e pela coordenação dos serviços de inteligência federal, entre outras atribuições.
A ocorrência foi registrada na 23ª Delegacia de Polícia (P Sul). Em seguida, os homens foram encaminhados ao Batalhão de Polícia do Exército, onde permaneciam presos até a manhã deste sábado (1º). Segundo o GSI, os militares devem ser afastados da corporação para responder pelos crimes na Justiça comum.
De acordo com o registro policial, os homens admitiram que "saíram para fazerem umas 'correrias' (arrastão em via pública) e depois retornavam para o local de trabalho para cumprirem a escala de serviço".
Os homens têm idades entre 20 e 21 anos e foram abordados na quadra 18 de Ceilândia Norte, por volta das 21h. Segundo a PM, eles tentaram se passar por policiais civis para evitar as perguntas. Com os militares, a polícia encontrou correntes e seis celulares que teriam sido roubados na região. Até o fim da noite, seis vítimas e uma testemunha já tinham reconhecido os suspeitos.
A PM também apreendeu três pistolas 9mm, de uso exclusivo das Forças Armadas, seis carregadores (pentes) para as armas, um colete à prova de balas, cerca de R$ 960 e porções de maconha que estavam com os militares do Exército.
A ocorrência registrada na Polícia Civil lista os crimes de roubo, porte ilegal de arma de uso restrito, usurpação de função pública e porte de drogas para consumo próprio.
Confira a nota enviada pelo Gabinete de Segurança Institucional:
"1. O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) confirma a prisão pela PMDF de três militares - encarregados da segurança de instalações da Presidência da República - envolvidos em assalto na cidade satélite de Ceilãndia, na noite de ontem.
2. No momento, os militares estão presos no Batalhão de Polícia do Exército de Brasilia e o fato estâ sendo apurado, com o rigor que as circunstâncias exigem, de acordo com a legislação vigente, pelo GSI e pelo Comando Militar do Planalto."

terça-feira, 10 de maio de 2016

Governo do DF repete esquema de segurança adotado para a Câmara na votação do Senado

Muro vai separar manifestantes favoráveis e contrários ao impeachment da presidente Dilma

Brasília - A Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social do Distrito Federal informou nesta terça-feira, 10, que o plano operacional adotado na votação do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados será repetido nesta quarta, quando o plenário do Senado Federal votará pela continuidade ou não do processo.
Assim como em 17 de abril, haverá um muro separando os manifestantes favoráveis e contrários ao governo Dilma. O corredor de separação tem 80 metros de largura por 1 quilômetro de comprimento e ficará montado desde a altura da Catedral até o Congresso Nacional.
Ao longo de toda extensão, haverá policiais militares, bombeiros, agentes de trânsito e de saúde. O grupo pró-impeachment ficará do lado direito do Congresso e os manifestantes a favor de Dilma, do lado esquerdo.

De acordo com o esquema do Governo do Distrito Federal, a área da Praça dos Três Poderes, que inclui Congresso Nacional, Supremo Tribunal Federal, Palácio do Planalto, junto com o Itamaraty e o Ministério da Justiça, será considerada zona de segurança nacional e, com isso, ficará restrita ao trânsito das forças de segurança.
A Secretaria da Segurança Pública do DF também avisou que as Vias N1 e S1 estarão interditadas a partir da zero hora desta quarta-feira e que os servidores que trabalham na Esplanada dos Ministérios e os manifestantes devem acessar as Vias N2 e S2.
ESTADAO

Postado por: Ygor I. Mendes

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Ministra apresenta balanço do CAR


A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, apresenta, nesta sexta-feira (06/05), às 11 horas, balanço do desempenho do Cadastro Ambiental Rural (CAR). Na ocasião, a ministra também lançará o Atlas do Cadastro Ambiental Rural e o Relatório Técnico do Inventário Nacional Florestal no Distrito Federal. Também estará presente o diretor geral do Serviço Florestal Brasileiro, Raimundo Deusdará.


Serviço:
Coletiva de Imprensa: Balanço do CAR
Data: 06/05/2016
Hora: 11h

Local: Auditório Ipê Amarelo (Ministério do Meio Ambiente – Esplanada dos Ministérios, Bloco B, térreo - Brasília-DF)

MMA

Postado por: Ygor I. Mendes

sábado, 7 de maio de 2016

DF tem inflação de 0,43% em abril, menor do que média nacional

IPCA no país foi de 0,61%; índice de março na capital havia sido de 0,12%.Em 12 meses, alta no DF foi de 8,34%, abaixo da média nacional de 9,28%.


A inflação no Distrito Federal em abril teve alta de 0,43%, de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa é menor do que a média nacional, que foi de 0,61%, mas é maior do que os 0,12% registrados em março.
Em abril, o grupo com a maior alta foi o de comunicação, puxada pela telefonia pública, com variação de 2,43%. Em seguida estão os gastos com saúde e cuidados pessoais (2,04).
Alimentação e bebidas apresentaram alta de 1,09% no mês. Em março, o segmento foi o de maior variação positiva, com 0,92%, à frente de artigos de residência (0,86%).

No acumulado do ano, o DF teve variação de 2,18%, também inferior à média nacional – que foi de 3,25%. Nos últimos 12 meses, a alta foi de 8,34%, enquanto a média no país foi de 9,28%.
Os gastos com habitação e transporte sofreram redução pelo segundo mês seguido. Em abril, a queda foi de 0,36% nos gastos com moradia e de 1,03% em despesas com transporte – seguro de veículos caíram 13,02%. Em março, a baixa foi de 0,63% (habitação) e 0,55% (transporte).
G1GLOBO
Postado por: Ygor I. Mendes